Seg, 11 de Dezembro de 2017

Notícias

Técnicos em inspeção da Urbs fazem revisão criteriosa na frota do transporte coletivo

Foto: Daniel Castellano/SMCS

| 7/8/2017

Todos os 1.650 ônibus do transporte coletivo de Curitiba, frota circulante e reserva, passam por rigorosa inspeção de segurança. O trabalho é feito diariamente por técnicos em inspeção da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs). Por mês são 350 revisões.

Os ônibus com menos de dez anos passam por duas vistorias técnicas por ano. Para os veículos acima desse prazo, as vistorias ocorrem a cada três meses. “É um trabalho criterioso de acompanhamento das condições técnicas e operacionais de toda a frota, garantindo que o passageiro tenha segurança quando entra num ônibus de Curitiba”, disse o diretor de transporte da Urbs, Antonio Carlos Araújo.

Cada vistoria avalia mais de 60 itens de segurança e emissão de poluentes. Os técnicos inspecionam e registram o funcionamento de motor, sistemas elétrico e hidráulico, freios, embreagens e pneus, as condições dos bancos, a limpeza e a validade do atestado de dedetização. Até jatos d’água são usados nas inspeções para verificar infiltração, simulando dias de chuva.

Se tudo estiver em ordem, a empresa recebe um laudo para que, no prazo de cinco dias, retire na Urbs o selo de inspeção que deve ficar à mostra, na parte superior do posto do motorista. Caso um fiscal do transporte identifique um ônibus circulando com o selo de vistoria vencido, o veículo é imediatamente retirado da frota e a empresa multada de acordo com o regulamento.

Se algum problema for identificado durante a inspeção, a empresa é notificada a fazer a correção no mesmo dia. “Nestes casos, que são raros, os técnicos voltam para repetir a vistoria e se o ônibus for reprovado ele não pode circular até o problema ser resolvido”, explicou o engenheiro mecânico da Urbs, Alysson Wolf.

A revisão é feita na garagem das empresas e também com o ônibus em circulação na rua. Além disso, são consideradas as diferenças técnicas de cada categoria de ônibus da frota curitibana.

O engenheiro da Urbs explica que os ônibus expressos (que circulam nas canaletas), por exemplo, têm um sistema de frenagem auxiliar chamado “retarder”, que não existe nos demais modelos. Na frota de embarque em nível, ligeirinhos e expressos, os técnicos avaliam a altura das rampas de embarque e desembarque.

O estado dos ônibus verificado pelos inspetores é um dos indicadores de qualidade que as empresas contratadas devem atender. Se não for atingido, ela é penalizada com desconto de 0,6% na tarifa técnica.

O gestor da Área de Tecnologia do Transporte, Elcio Karas, fala que Curitiba é a única grande cidade brasileira que faz revisão técnica em toda a frota de ônibus. “Nas outras cidades, as vistorias são por amostragem”, disse.

Categoria: Transporte Coletivo

Arquivos

Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012