Notícias

Projetos para ligeirão do Santa Cândida ao Capão Raso já têm aprovação da Caixa

Ilustração Marc Freitas/IPPUC

| 9/3/2018

A Prefeitura de Curitiba já tem aprovados R$ 15 milhões, junto a Caixa Econômica Federal, para cinco projetos da segunda etapa da Linha Direta Norte-Sul para ligação do ligeirão até o Terminal Capão Raso. Com a operação da segunda etapa da linha, a estimativa é que 100 mil passageiros por dia utilizem os ligeirões (considerando 36 mil atendidos na primeira fase e outros 64 mil na nova etapa).

 A licitação das obras depende da liberação dos recursos por parte do governo federal. Os projetos aprovados pela Caixa são para intervenções no eixo de transporte da Avenida República Argentina que permitirão que os Ligeirões ultrapassem os Expressos da linha paradora de forma alternada nas estações Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch (Igreja do Portão) e Itajubá.

Primeira fase

A primeira etapa da linha Norte-Sul do ligeirão vai começar a operar no dia 28 de março, como parte das comemorações do aniversário de 325 anos de Curitiba. No trecho de aproximadamente 11 quilômetros entre o Terminal Santa Cândida e a Estação Bento Viana, na divisa dos bairros Água Verde e Batel, a nova linha do Ligeirão Norte-Sul terá oito pontos de embarque e desembarque nesta primeira fase.

Vindo do norte em direção à Praça do Japão, o ligeirão terá como pontos de parada os terminais Santa Cândida, Boa Vista e Cabral e as estações Passeio Público, Central (Praça Santos Andrade), Eufrásio Correia, Oswaldo Cruz e Bento Viana.

Com o funcionamento do novo ligeirão, a estimativa é de que as viagens no percurso entre o Terminal Santa Cândida e a Estação Bento Viana, e vice-versa, levem entre 20 e 25 minutos. É quase a metade do tempo gasto pelos biarticulados que atualmente fazem o percurso e que param em 16 estações.

Ligação completa

Os projetos para a ligação completa da Linha Direta Norte-Sul, desde o Terminal Santa Cândida ao Pinheirinho, estão em desenvolvimento no Ippuc.  As intervenções prevêem a implantação da infraestrutura de ultrapassagem em 13 estações em todo o eixo, incluídas neste número as cinco que já contam com recursos já aprovados junto à Caixa, que integram a segunda etapa de funcionamento da linha.

A estimativa, considerando os tempos de execução, aprovação dos projetos junto aos organismos financiadores e liberação do recurso pelo governo federal, é que a linha esteja operando de ponta a ponta (Santa Cândida-Pinheirinho) até 2020.

 
 
 

Categoria: Transporte Coletivo

Arquivos

Setembro 2018
Agosto 2018
Julho 2018
Junho 2018
Maio 2018
Abril 2018
Março 2018
Fevereiro 2018
Janeiro 2018
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012