Notícias

Justiça homologa termo de ajuste para renovação de frota de ônibus

Foto: Pedro Ribas

| 21/12/2017

A Justiça aceitou o termo de ajuste entre Urbs (Urbanização de Curitiba S/A) e Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana) para a renovação da frota de ônibus do transporte coletivo. A homologação foi assinada na sexta-feira (15), pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Tiago Gagliano Pinto Alberto, e acaba com uma disputa judicial de quatro anos.

O termo foi encaminhado em meados de novembro para apreciação da Justiça. Antes da homologação, o termo obteve parecer favorável do Ministério Público. “É uma vitória da cidade essa desjudicialização, tudo feito com transparência e dentro do interesse público”, destacou o prefeito Rafael Greca.

Esta homologação coloca fim a ações das empresas contra a Urbs que tramitavam na Justiça desde 2013, o que impedia a renovação da frota de ônibus. Com o fim desse questionamento judicial, serão adquiridos o mínimo de 150 novos ônibus por ano até 2020, num total de 450 veículos.

Pedido

A Urbs já encaminhou para o Setransp o pedido de compra de 25 biarticulados, que deverão ser entregues em março de 2018. O restante dos 125 novos ônibus será entregue ao longo do ano, conforme cronograma a ser definido pela Urbs com os gestores dos consórcios.

Na semana passada foram entregues dez ônibus convencionais de linhas alimentadoras. Foi a primeira renovação em mais de quatro anos. O compromisso da renovação gradual foi assumido dentro da realidade financeira suportada pelo Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), para onde vão as receitas (passagens) do transporte e que remunera os pagamentos do sistema.

O reequilíbrio do FUC começou no início da gestão do prefeito Rafael Greca. Em 16 de janeiro de 2017 o saldo do FUC era negativo (R$ 5.737.845,40). O reajuste da tarifa de ônibus, para R$ 4,25, em fevereiro de 2017, foi necessário para esse reequilíbrio, tanto para renovar a frota como para pagar em dia o serviço de operação do transporte coletivo e acabar com as paralisações constantes no sistema.

Para o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, o reequilíbrio do FUC garantiu um ano com poucas paralisações no transporte. “A Urbs vem honrando os compromissos relacionados ao transporte público, evitando greves e paralisações por falta de pagamentos, e chegamos ao fim do ano com salários e 13º pagos e ônibus circulando, sem transtornos para a população”, destacou.

A Urbs ressalta que o transporte coletivo de Curitiba não conta com subsídios, sendo a única fonte de receita a tarifa paga pelos passageiros.

Categoria: Transporte Coletivo

Arquivos

Outubro 2018
Setembro 2018
Agosto 2018
Julho 2018
Junho 2018
Maio 2018
Abril 2018
Março 2018
Fevereiro 2018
Janeiro 2018
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012