Notícias

Com Via Calma, tráfego de ciclistas na Sete de Setembro aumenta 132%

Foto: Jaelson Lucas/SMCS

| 10/11/2016

O número de ciclistas que utiliza a Avenida Sete de Setembro mais que dobrou desde a implantação da Via Calma em 2014, quando foram estabelecidos o compartilhamento do tráfego de veículos e bicicletas na via lenta e a velocidade máxima de 30 km por hora. É isso que demonstram as pesquisas realizadas pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) nos anos de 2008, 2013, 2014, 2015 e 2016.

Num comparativo entre 2013, ano anterior à implantação da Via Calma, e 2016, o aumento do número de ciclistas foi de 132,19%. “As pesquisas demonstram que a população aceitou e adotou a Via Calma, um modelo de compartilhamento do espaço urbano que foi criado pelo Ippuc e é exclusivo de Curitiba, com a redução de velocidade para os carros, a implantação da bicicaixa e a preferência de avanço e conversão para os ciclistas”, avalia o presidente do Ippuc, Sérgio Póvoa Pires.

No ano de 2013, em relação a 2008, quando ocorreu a pesquisa anterior, houve um aumento de apenas 1,73% de bicicletas trafegando pela Avenida Sete de Setembro. No entanto, em 2014, quando foi implantada a Via Calma, foi registrada uma taxa de crescimento de 53,79% na circulação de bicicletas, em comparação a 2013. Um ano depois, em 2015, houve novo aumento de ciclistas na via, da ordem de 26,48% em relação a 2014. E, finalmente, em 2016, houve mais um aumento na quantidade de ciclistas na Avenida Sete de Setembro, da ordem de 19,38%, em relação ao ano anterior.

Em números absolutos, as contagens de bicicletas num único dia, no horário de pico do final da tarde, registraram: 519 bicicletas em 2008; 528 em 2013; 812 em 2014; 1.027 em 2015; e 1.226 bicicletas em 2016. “Os números deixam claro que os ciclistas sentem-se mais protegidos e encorajados a utilizar a Via Calma”, avalia o arquiteto Antonio Miranda, autor do projeto da Via Calma e responsável pela área de ciclomobilidade no Ippuc.

As pesquisas foram realizadas em três pontos da Avenida Sete de Setembro, nas quadras entre as seguintes vias: Rua Bento Viana e Rua Silveira Peixoto (Batel / Água Verde); Rua Lamenha Lins e Rua Brigadeiro Franco (Água Verde / Rebouças); e Rua Mariano Torres e Rua Tibagi (Centro / Rebouças). As contagens de bicicletas e veículos foram realizadas sempre no mesmo horário, das 17h às 20h. No ano de 2013, ocorreu somente a contagem de bicicletas. O trabalho integra o conjunto sistemático de pesquisas de mobilidade urbana realizado pelo Setor de Pesquisa do Ippuc.

Menos ciclistas na canaleta

As pesquisas também revelam que diminuiu muito o número de ciclistas na canaleta de ônibus após a implantação da Via Calma. Em 2008, 85% dos ciclistas utilizavam a canaleta para se deslocar e somente 15% trafegavam pela via lenta. Em 2013, cinco anos após a primeira pesquisa, constatou-se que pouca coisa havia mudado: 80% dos ciclistas usavam a canaleta e 20% seguiam pela via lenta. A grande mudança de comportamento ocorreu exatamente em 2014, ano de implantação da Via Calma, quando 31% dos ciclistas trafegavam pela canaleta do ônibus, enquanto 69% já adotaram a via lenta para se deslocar.

Nos dois anos seguintes, o padrão de comportamento sofreu poucas alterações. Em 2015, 30% dos ciclistas usavam a canaleta e 70% deram preferência à via lenta. Já em 2016, 34% dos ciclistas optaram pela canaleta e 66% utilizavam a pista lenta, compartilhando o espaço com os veículos. “Esta é uma mudança de comportamento muito importante, pois, ao disputar espaço com os ônibus nas canaletas, os ciclistas arriscam suas vidas. Acreditamos que, com o aumento das vias calmas e novas campanhas de conscientização este número deverá baixar ainda mais”, comemora Pires.

Veja a pesquisa completa neste link, disponível no site do Ippuc.


Arquivos

Dezembro 2019
Novembro 2019
Outubro 2019
Setembro 2019
Agosto 2019
Julho 2019
Junho 2019
Maio 2019
Abril 2019
Março 2019
Fevereiro 2019
Janeiro 2019
Dezembro 2018
Novembro 2018
Outubro 2018
Setembro 2018
Agosto 2018
Julho 2018
Junho 2018
Maio 2018
Abril 2018
Março 2018
Fevereiro 2018
Janeiro 2018
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012